15 de abril de 2011

Epílogo

                                                                                                            
Não era o fim do mundo. Este ainda continuava firme, aguentando com determinação os maltrados de suas próprias crias. Definitivamente o mundo concreto não iria acabar, não hoje, não agora. Não que fisesse diferença, o mundo poderia explodir, ela não ligaria. Era o fim de seu mundo. O fim de tudo que chegou a acreditar, tudo que pode sonhar. Esperança ainda pulsava em suas veias, como uma promessa vaga a si mesma que não desistira. Porém cada palavra foi desbotada com um nó que invadira sua garganta. Lutou, lutou com unhas e dentes, isso ninguém poderia negar. Mas agora nada mais valia a pena, porque no momento em que seu mundo desmoronara, ela desmoronou junto, sendo levada pela avalanche que ivadiou se coração voraz.

2 comentários:

Cosabella disse...

Não precisa ser o fim do mundo como nos filmes, mas todos os dias o mundo acaba pra alguém. Seja por uma decepção, despedidas, morte ou um término de qualquer coisa abruptamente. É estranho como essas coisas normalmente não avisam nem fazem nenhum sinal quando estão chegando. Mas faz parte da vida, né. Alias, isso ensina a viver. Por mais dificil que seja :/ Gostei muito do post, de verdade.

Beeeijos ;*

Anna Chagas disse...

Obrigada, de verdade. (: